PME Impact leva empreendedorismo e negócios de alto desempenho para ensino público

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou no final de outubro que a taxa de desemprego do terceiro trimestre de 2017 está em 12,4%, o que significa que cerca de 13 milhões de brasileiros estão sem ocupação no mercado de trabalho formal. Indicador que traz um grande desafio social e econômico para a sociedade brasileira, e que não é motivado apenas pela atual situação econômica do país, mas também pela falta de capacitação para atuar no crescente mercado digital e globalizado, altamente competitivo e que exige habilidades e competências diferenciadas.

A inovação e avanço da tecnologia, ao mesmo tempo que traz competitividade para as empresas, exige profissionais protagonistas e empreendedores mais capacitados para liderá-las.

Como exemplo a Netflix, uma empresa americana, que inovou e revolucionou seu mercado, provendo filmes e séries de televisão através da internet. A empresa que opera no Brasil desde 2011, tem sua sede no Vale do Silício (EUA), e estima-se que já ultrapassou a marca de 6 milhões de assinantes brasileiros e possui um faturamento superior aos tradicionais canais de televisão do Brasil. Uma empresa que cresce aceleradamente e que está presente em mais de 190 países, com grande foco em contratar profissionais talentosos e preparados para o mercado digital e globalizado.

Um outro dado preocupante e que também é um desafio na formação dos profissionais brasileiros, sobretudo quando estes estão à frente de negócios, ou seja, são líderes ou empresários, refere-se a alta taxa de mortalidade de empresas. Estudo sobre sobrevivência de empresas divulgado em 2016 pelo Sebrae aponta que em média 23% das empresas não completam dois anos de abertura, e 50% não chegam ao quinto ano de atividade.

Além dos inúmeros desafios que o empreendedor encontra no mercado altamente competitivo, digital e globalizado, outros fatores são apontados como obstáculos no estudo, entre eles, altos custos e despesas, baixa clientela, pouca experiência empresarial, falta de planejamento e pouco conhecimento sobre gestão.

Educação para formar líderes e empreendedores do futuro

Algumas das justificativas para a falência dos negócios e não ocupação dos postos de trabalho poderiam ser extinguidas desta lista se a educação empreendedora fosse melhor difundida no país. Projetos de lei que instituem o empreendedorismo na grade curricular das escolas brasileiras estão em tramitação no Congresso Federal. Entretanto, outras boas iniciativas para o fomento da educação empreendedora já começam a despontar no Brasil.

Um exemplo está sendo desenvolvido em Araraquara, cidade de 230 mil habitantes no interior paulista. Alunos do ensino público da ETEC Profª Anna de Oliveira Ferraz estão tendo acesso gratuito a estudos de casos protagonizados por empreendedores brasileiros que têm revolucionado mercados em diversos segmentos. Isso é resultado de uma parceria inédita entre a ETEC e a Academia PME.

No material educacional disponibilizado aos alunos da ETEC na plataforma de ensino a distância, mais de 40 empreendedores de alto desempenho, como Gustavo Caetano, CEO/fundador da Samba Tech e Patrick Sigrist, fundador do iFood, revelam práticas de negócios e empreendedorismo adotadas por eles e que impactaram positivamente no crescimento de suas empresas. Há vasto material já disponível sobre empreendedorismo, marketing, vendas, novos negócios, cultura, pessoas, capital, finanças, estratégia e mercado.

Além do conteúdo gerado a partir dos empreendedores entrevistados, os alunos também têm acesso a um material complementar com conceitos extraídos de grandes livros americanos de negócios e contextualizados com cada uma das temáticas dos estudos de casos.

Para a diretora da ETEC Profª Anna de Oliveira Ferraz, Luciane Thomazini Furtado, a parceria com a iniciativa privada preenche uma lacuna existente nas escolas brasileiras que é disponibilizar conteúdo sobre empreendedorismo associado a um olhar mais prático sobre o mercado.

“Este tipo de união abre um horizonte diferenciado aos alunos, pois, além da teoria que eles recebem em sala com os professores, eles conseguem visualizar a prática através do conteúdo disponibilizado na plataforma, de maneira atualizada e contextualizada”, destaca a diretora, que ainda considera a realização da parceria uma forma de manter os professores atualizados e motivar os alunos para, consequentemente, minimizar a evasão escolar.

Muito mais impacto no desenvolvimento social e econômico

Neste primeiro contrato com a ETEC de Araraquara, mil licenças foram disponibilizadas gratuitamente. O programa social denominado PME Impact tem a seguinte dinâmica: a cada nova assinatura na plataforma de ensino a distância da Academia PME, uma licença é concedida gratuitamente ao ensino público e direcionada a um professor ou aluno das escolas parceiras, além da integração presencial com palestras educativas.

De acordo com o CEO da Academia PME, Iglá Generoso, existe um diálogo avançado com outras escolas técnicas do Centro Paula Souza para a expansão do projeto social pelo estado de São Paulo, além disso, a proposta é que outras escolas da rede pública de ensino e organizações não governamentais de diferentes Estados sejam integradas ao programa. A meta é que 50 mil alunos e professores tenham acesso à plataforma online de educação empreendedora e negócios até o final de 2018.

“A união de inspiração e educação de negócios de alto desempenho são essenciais para fomentar o empreendedorismo de forma sólida e se tornar uma ferramenta para as transformações econômicas e sociais que o Brasil tanto precisa. Vimos que através do conteúdo produzido pela Academia PME poderíamos contribuir de uma maneira muito positiva e impactante para a construção de uma nova realidade”, destaca o CEO.

Quem já está usando a licença para estudar e projetar um futuro mais promissor é Ederson Carlos Sgarbosa, aluno do 2° módulo do curso de Logística na ETEC Profª Anna de Oliveira Ferraz. “É uma grande oportunidade ter acesso gratuitamente a um conteúdo rico, diversificado e diferente sobre empreendedorismo. Sempre tive o pensamento de empreender e agora vejo um incentivo a mais para estudar, me preparar para ser um empreendedor e, no futuro, abrir meu negócio”, afirma o estudante.

Quer saber mais sobre o programa social PME Impact? Confira aqui! 



Comentários

Send this to friend